Exóticas

EXÓTICAS


São oriundas de outros países ou continentes, em sua maioria trazidas na época de colonização do Brasil. Curiosamente, as plantas que chamaram a atenção dos colonizadores, possuem caráter ornamental e seus atributos podem ser no seu florescimento; na beleza e textura de sua copa; nas cores outonais ou no colorido variegado de suas folhas; no desenho, forma, textura, volume e colorido de seu tronco; na forma, quantidade e cor de seus frutos.
As espécies exóticas, quando cultivadas no Brasil, desenvolvem-se melhor atingindo os objetivos visados, quando estabelecidas em regiões e ecossistemas semelhantes às de origem (habitat natural), florescendo, frutificando e produzindo sementes. 
A adaptação das espécies introduzidas em nosso meio pode ser avaliada em função de seu crescimento quanto ao vigor e uniformidade, índice de sobrevivência, resistência a pragas, doenças e fatores climáticos adversos, capacidade de regeneração natural, longevidade e idade inicial de floração e frutificação em relação ao seu comportamento na região de origem.


CÁSSIA IMPERIAL

Nome Científico: Cassia fistula
É uma árvore ornamental decídua, de floração com belos cachos pendentes de flores douradas. De porte médio e crescimento rápido, possui tronco um pouco tortuoso, com casca lisa e acinzentada e ramagem aberta, de ramos longos e recurvados, formando copa arredondada. Suas folhas são compostas por folíolos ovalados de cor verde-claro. No verão desponta suas inflorescências com numerosas flores amarelas grandes.
Pode ser plantada em calçadas pois não apresenta raízes agressivas, porém é sensível à transplantes.

MAGNOLIA

Nome Científico: Magnolia liliflora
É uma arvoreta de ramagem muito numerosa e fina, formando copa arredondada. Emite flores muito grandes, na maioria das vezes quando a planta já não apresenta mais folhas, em pleno inverno, de tom rosa por dentro e arroxeadas por fora, formando contraste com seu tronco liso e cinzento.
Deve ser cultivada sempre sob sol pleno, com irrigação regular no primeiro ano de implantação e em estações secas. Aprecia o clima ameno, sendo indicada para os locais mais frios, onde a sua floração é mais abundante.

RODODENDRO

Nome Científico: Rhododendron thomsonii
É uma árvore de porte pequeno, com tronco curto, com casca lisa de cor parda. Possui ramagem esparsa, formando copa alongada, estreita e quase colunar. Suas folhas são simples, alongadas, rugosas, com nervuras branco-prateadas. Possui inflorescências terminais, globosas e densas, formadas durante o inverno por flores recortadas, com longos estames e se apresentam em diversas cores: vermelhas, rósea, arroxeadas ou brancas.
Aprecia clima frio e é apropriada para arborização urbana.

ESPIRRADEIRA

Nome Científico: Nerium oleander
É uma arvoreta muito ramificada e florífera, muito rústica, com folhas simples lanceoladas de coloração verde escura, com o verso mais claro. Possui inflorescência de setembro a março, formada por numerosas flores de pétalas amplas, retorcidas, brancas, amarelas, rosas ou vermelhas. Ocorre uma variedade de folhas amareladas (variegata) e uma de flores amarelas, rara.
Por ser considerada muito tóxica, deve ser manipulada com luvas e muito cuidado, além de ficar longe do alcance de crianças pequenas e cachorros. 

FLAMBOYANT

Nome Científico: Delonix regia
É considerado uma das árvores mais belas do mundo, devido ao colorido intenso de suas flores. Possui tronco forte e um pouco retorcido, podendo alcançar cerca de 12 metros de altura. Sua copa é muito ampla, em forma de guarda-chuva. As folhas são  formadas por vários folíolos.
As inflorescências surgem quando a árvore perde as folhas e são compostas por flores grandes, vermelhas ou alaranjadas. A floração ocorre na primavera e verão. As suas raízes são bastante agressivas, com parte delas acima da superfície, tornando-a imprópria para a ornamentação de calçadas, ruas ou próximo à tubulações e fiação elétrica. 

ESPATÓDEA

Nome Científico: Spathodea nilotica
É uma árvore de crescimento rápido e efeito muito ornamental. Seu porte é médio e tronco possui casca fina e suberosa. As folhas são grandes e compostas por numerosos folíolos alongados.
 As flores são vermelho-alaranjadas ou amarelas, de acordo com a variedade e surgem de inflorescências terminais, com botões numerosos que abrem-se sucessivamente, garantindo uma longa floração. O período de floração varia com a localidade onde a planta se encontra. Possui copa densa, é muito rústica e suas raízes são muito agressivas. 

RESEDÁ ROSA

Nome Científico: Lagerstroemia indica
É uma árvore bastante rústica, resistente à poluição urbana, que não possui raízes agressivas, além de ter um belo florescimento. Suas folhas são elípticas, com bordas onduladas. O tronco é liso, de tons claros, marmorizado. Seu porte é pequeno, atingindo 6 metros de altura. As inflorescências, formadas ainda no inverno, contém inúmeras flores crespas de coloração rosa, branca, roxa ou vermelha, de acordo com a variedade. A forma natural da planta é bonita, mas é frequente o uso de podas de formação, para transforma-lá em arbusto ou arvoreta com copa redonda e compacta. 

RESEDÁ BRANCO

Nome Científico: Lagerstroemia indica
É uma árvore bastante rústica, resistente à poluição urbana, que não possui raízes agressivas, além de ter um belo florescimento. Suas folhas são elípticas, com bordas onduladas. O tronco é liso, de tons claros, marmorizado. Seu porte é pequeno, atingindo 6 metros de altura. As inflorescências, formadas ainda no inverno, contém inúmeras flores crespas de coloração rosa, branca, roxa ou vermelha, de acordo com a variedade. A forma natural da planta é bonita, mas é frequente o uso de podas de formação, para transforma-lá em arbusto ou arvoreta com copa redonda e compacta. 

RESEDÁ ROXO

Nome Científico: Lagerstroemia indica
É uma árvore bastante rústica, resistente à poluição urbana, que não possui raízes agressivas, além de ter um belo florescimento. Suas folhas são elípticas, com bordas onduladas. O tronco é liso, de tons claros, marmorizado. Seu porte é pequeno, atingindo 6 metros de altura. As inflorescências, formadas ainda no inverno, contém inúmeras flores crespas de coloração rosa, branca, roxa ou vermelha, de acordo com a variedade. A forma natural da planta é bonita, mas é frequente o uso de podas de formação, para transforma-lá em arbusto ou arvoreta com copa redonda e compacta. 

CALISTEMO

Nome Científico: Callistemon imperialis
É uma arvoreta, alcançando de 3 a 7 metros de altura, rústica, de baixa manutenção e de crescimento moderado. Possui tronco ereto e cilíndrico, revestido por casca grossa e fissurada, de cor acinzentada e ramos curtos e muito ramificados, conferindo uma copa globosa e densa. Suas folhas são em geral pequenas, verdes e aromáticas e suas flores tem um formato cilíndrico com numerosos estames, de cor vermelho-carmim. Muito atrativas para os beija-flores, as flores surgem esparsas durante todo o ano e abundantes na primavera. No verão, elas dão lugar aos frutos, pequenos, lenhosos e bem aderidos aos ramos. 

JASMIM MANGA VERMELHO

Nome Científico: Plumeria rubra
É uma árvore de aspecto exótico e com flores perfumadas. Seu caule e ramo são bastante robustos e apresentam uma seiva leitosa e tóxica se ingerida. As folhas são grandes, largas e brilhantes e caem no outono-inverno. A floração inicia-se no fim do inverno e permanece pela primavera, com a sucessiva formação de flores de diversas cores e nuances entre o branco, o amarelo, o rosa, o salmão e o vinho. Devem ser cultivadas à pleno sol. Não é tolerante ao frio e às geadas.

ACÁSSIA MIMOSA

Nome Científico: Acacia podalyriifolia 
É uma árvore de pequeno porte, atingindo no máximo 5 metros de altura, com tronco liso acinzentado e revestimento farinhento. Sua folhagem é perene, azuladas com tom acinzentado e de formato oval, formando copa aberta. As flores são muito pequenas, perfumadas e amarelas, com aspecto macio, provavelmente devido a grande presença de estames, e ocorrem no inverno. 
Apresenta rápido crescimento, pouca resistência contra ventos, de difícil transplante e também é pouco longeva, chegando a apenas 15 anos de vida.

JASMIM MANGA BRANCO

Nome Científico: Plumeria rubra
É uma árvore de aspecto exótico e com flores perfumadas. Seu caule e ramo são bastante robustos e apresentam uma seiva leitosa e tóxica se ingerida. As folhas são grandes, largas e brilhantes e caem no outono-inverno. A floração inicia-se no fim do inverno e permanece pela primavera, com a sucessiva formação de flores de diversas cores e nuances entre o branco, o amarelo, o rosa, o salmão e o vinho. Devem ser cultivadas à pleno sol. Não é tolerante ao frio e às geadas.

JASMIM MANGA ROSA

Nome Científico: Plumeria rubra
É uma árvore de aspecto exótico e com flores perfumadas. Seu caule e ramo são bastante robustos e apresentam uma seiva leitosa e tóxica se ingerida. As folhas são grandes, largas e brilhantes e caem no outono-inverno. A floração inicia-se no fim do inverno e permanece pela primavera, com a sucessiva formação de flores de diversas cores e nuances entre o branco, o amarelo, o rosa, o salmão e o vinho. Devem ser cultivadas à pleno sol. Não é tolerante ao frio e às geadas.

JASMIM MANGA LARANJA

Nome Científico: Plumeria rubra
É uma árvore de aspecto exótico e com flores perfumadas. Seu caule e ramo são bastante robustos e apresentam uma seiva leitosa e tóxica se ingerida. As folhas são grandes, largas e brilhantes e caem no outono-inverno. A floração inicia-se no fim do inverno e permanece pela primavera, com a sucessiva formação de flores de diversas cores e nuances entre o branco, o amarelo, o rosa, o salmão e o vinho. Devem ser cultivadas à pleno sol. Não é tolerante ao frio e às geadas.

UVA JAPONESA

Nome Científico: Hovenia Dulcis
É uma árvore de porte médio, podendo atingir cerca de 25 metros de altura. Sua copa é aberta e arredondada. O caule apresenta rápido crescimento e pequeno diâmetro. Sua casca é escura, de textura lisa a levemente fissurada. As folhas são ovais, verdes, brilhantes e caem no outono e inverno. As flores são pequenas, perfumadas, branco-esverdeadas e atraem muitas abelhas. Os frutos são cápsulas secas, marrons, sustentadas por pedúnculos carnosos, doces e de cor castanha. Eles podem ser consumidos in natura ou na forma de geléias. 

PAINEIRA VERMELHA

Nome científico: Bombax malabaricum 
É uma árvore de grande porte e com rápido crescimento. Entre os meses de julho e agosto ela se despe das folhas e fica repleta de flores vermelhas. 
De raiz suculenta, acumula grande quantidade de água, aguentando longos períodos de estiagem, sendo uma espécie muito rústica, porém não suportando solo encharcado.
É uma árvore adorada pelos pássaros , sendo visitada todos os dias no período de floração, por muitos deles, que consomem água acumulada no cálice de suas flores.
É muito utilizada no paisagismo urbano devido a sua rara beleza. 

CÁSSIA ROSADA

Nome Científico: Cassia renigera
É uma árvore de médio porte, atingindo até 10 metros de altura, com  ramagem longa, formando copa aberta e arredondada. Seu tronco é cilíndrico com casca pardo-acinzentada, finamente fissurada. As folhas são formadas por folíolos verde escuros opacos e arredondados. A floração decorre entre dezembro e março e origina flores de cor rosa, dispostas ao longo dos ramos em racemos globosos. A frutificação, que ocorre entre setembro e novembro, é do tipo vagem, cilíndrica, retilínea e marrom, com aroma de alcaçus. Apresenta crescimento rápido e se adapta bem na maioria das regiões brasileiras. 

PATA DE VACA BRANCA

Nome Científico: Bauhinia alba
É uma árvore de porte médio, raramente passando de 10 metros. O tronco é tortuoso e sua ramagem é esparsa, formando uma copa cheia e ampla na primavera e verão. No outono perde gradativamente as folhas, sem ficar totalmente despida. As folhas são redondas, coriáceas, com nervuras claras e bilobadas. O florescimento vistoso inicia em meados do inverno e permanece durante a primavera. As flores são grandes, brancas e muito atrativas para insetos polinizadores e aves silvestres.
De rápido crescimento e não apresentar raízes agressivas. 

PATA DE VACA ROSA

Nome Científico: Bauhinia variegata
É uma árvore de porte médio, raramente passando de 10 metros. O tronco é tortuoso e sua ramagem é esparsa, formando uma copa cheia e ampla na primavera e verão. No outono perde gradativamente as folhas, sem ficar totalmente despida. As folhas são redondas, coriáceas, com nervuras claras e bilobadas. O florescimento vistoso inicia em meados do inverno e permanece durante a primavera. As flores são grandes, rosas (com uma pétala modificada) e muito atrativas para insetos polinizadores e aves silvestres.
De rápido crescimento e não apresentar raízes agressivas. 

PATA DE VACA ROXA

Nome Científico: Bauhinia purpurea
É uma árvore de porte médio, raramente passando de 10 metros. O tronco é tortuoso e sua ramagem é esparsa, formando uma copa cheia e ampla na primavera e verão. No outono perde gradativamente as folhas, sem ficar totalmente despida. As folhas são redondas, coriáceas, com nervuras claras e bilobadas. O florescimento vistoso inicia em meados do inverno e permanece durante a primavera. As flores são grandes, roxas e muito atrativas para insetos polinizadores e aves silvestres.
De rápido crescimento e não apresentar raízes agressivas. 

MAGNOLIA AMARELA

Nome Científico: Magnolia champaca
É uma árvore de porte médio, podendo alcançar 30 metro de altura. Seu tronco pode ser múltiplo ou único, com copa inicialmente piramidal que com o tempo adquire formato umbeliforme (guarda-chuva). Suas folhas são ovadas, grandes e brilhantes. As flores são formadas por tépalas recurvadas nas pontas que podem ser brancas, amarelas ou amarelo-pálidas, e seu perfume pode ser sentido à distância. Os frutos são formados por carpelos que produzem de duas a quatro sementes. As sementes são recobertas por arilo e muito atrativas para os passarinhos.

FLAMBOIANZINHO

Nome Científico: Caesalpinia pulcherrima
É uma arvoreta perene, de caule lenhoso, ereto, ramificado e cheio de espinhos. Suas folhas são grandes e bipinadas, de coloração verde, com numerosos folíolos ovalados. As inflorescências são compostas por flores vermelhas, vermelho-alaranjadas, vermelho-rosadas ou amarelas, de acordo com a variedade, todas caracterizadas por longos estames. A floração ocorre na primavera e verão. Os frutos são do tipo legume e surgem no outono.
De rápido crescimento, pode ser podado e conduzido como arvoreta ou cerca viva, deixando-a com aspecto mais compacto. 

GREVILHA

Nome Científico: Grevillea banksii
É uma arvoreta, que atinge cerca de 6 metros de altura, de aspecto exótico e florescimento muito ornamental. Seu tronco é tortuoso com casca fina, levemente fissurada, de cor parda. Apresenta folhas bastante recortadas e afiladas verde-acinzentadas na superfície e esbranquiçadas no verso, formando uma copa arredondada pequena. Possui inflorescências chamativas, compostas de muitas flores com numerosos estames longos, recurvados e vermelhos. Florescem o ano todo atraindo muitos beija-flores.
Planta de baixa manutenção, indicada para plantio em jardins em geral e arborização urbana.

SCHEFLERA

Nome Científico: Schefflera actinophylla
É uma árvore de tronco ereto e pouco ramificado, pardo-claro quando novo. Suas folhas são separadas em 8 folíolos alongados, verdes e brilhantes. 
Na primavera produz inflorescências compostas de muitas flores pequenas amareladas que formam frutos vermelhos muito ornamentais.
Planta muito rústica e pouco exigente, quando jovem pode ser utilizada em vasos, como arbusto ou cerca viva, mantida podada.
Fica muito bem em jardins tropicais ou modernos. Pode ser cultivada a pleno sol ou a meia-sombra. 

JACARANDÁ MIMOSO

Nome Científico: Jacaranda mimosifolia
É uma árvore de porte pequeno, com tronco um pouco retorcido, com casca clara e lisa quando jovem, que gradativamente vai se tornando áspera e escura. Sua copa é arredondada com ramagem longa e aberta. É rústica, tolerante à podas e de crescimento rápido. Suas folhas são bipinadas, compostas por pequenos folíolos ovais, de coloração verde-clara e caem no inverno. Suas flores são duráveis, perfumadas e grandes, de coloração azul-violetas, em forma de trompete que se estende por toda a primavera e início do verão.

UVA DO MAR

Nome Científico: Coccoloba uvifera
É uma árvore de pequeno porte, atingindo cerca de 5 metros de altura e crescimento lento. Possui tronco com casca lisa, fina e acinzentada que se desprende em lâminas pequenas, tornando-o marmorizado. Sua copo é arredondada, formada por folhas grandes e arredondadas, de margens onduladas, coloração verde brilhantes e nervuras avermelhadas. Suas inflorescências não apresentam expressão ornamental, mas seus frutos, pequenos, vermelho-arroxeados quando maduros, formam cachos que se assemelham ao de uvas.

Tudo o que você precisa saber sobre árvores exóticas, em um único lugar.



Saber mais...

Share by: